22 outubro 2019

Parkour: o exercício inspirado em técnicas de salvamento

Parkour: o exercício inspirado em técnicas de salvamento

Como uma forma estilizada de escrever parcours (“percurso”, em francês), o parkour é um esporte em que o objetivo dos praticantes é se deslocar de um lugar a outro rápida e diretamente, o que inclui interagir com obstáculos como muros, vãos ou carros.

Esse tipo exercício foi inspirado em técnicas de salvamento do “método natural de educação física”, idealizado por Georges Hébert, marinheiro e educador físico francês. Ele organizou um percurso para treinamento militar a partir do qual David Belle, considerado um dos criadores do parkour, estruturou uma série de movimentos com o objetivo de adequar elementos do meio urbano à prática esportiva, ainda na década de 80.

Os traceurs, como são chamados os praticantes, muitas vezes têm experiência em esportes radicais, e utilizam manobras que envolvem saltos e escaladas assegurando-se com um único equipamento: o próprio corpo. Por isso, o local adequado para praticar o parkour é a área urbana, já que obstáculos são inclusive motivadores para os praticantes.

Exercício ou expressão corporal?

Apesar de muitos considerarem o parkour um esporte, não existe um consenso sobre isso, e diversas pessoas o veem como uma forma de expressão corporal. Afinal, as manobras apropriam-se de técnicas da ginástica olímpica e das artes marciais, mas os praticantes não competem entre si nem recebem pontuação.

Parkour SEPAC

A seguir, confira algumas manobras utilizadas no exercício:

Escalada

Com agilidade para atingir o obstáculo, o traceur utiliza paredes e muros nesta manobra. Seu corpo deve estar em alta velocidade e é preciso usar um dos pés em uma altura considerável para impulsionar-se verticalmente. Desta forma, é possível escalar um muro de três metros em apenas um segundo.

Big jump

Trata-se de um salto dado de algum lugar com bastante altitude – aproximadamente 3 metros. Um salto muito longo em distância também pode ser enquadrado nesta modalidade. Para amortecer o impacto, a queda deve ser seguida de uma cambalhota. Como em todas as manobras, é muito importante que o atleta caia com a ponta dos pés para tentar reduzir o impacto recebido pelo corpo.

Cat leap

Na maioria das vezes, esta técnica é utilizada quando o atleta deseja fazer um salto mas a distância impede que ele chegue com os pés ao outro ponto. Por isso, um dos pés bate primeiro na parede – o que absorve um pouco do impacto – e uma das mãos é usada logo em seguida, tudo isso em frações de segundos.

King kong vault

Este é um salto cujo impulso é feito majoritariamente com as mãos, constantemente utilizado quando o atleta está em alta velocidade e com o corpo de frente para o obstáculo. Uma das principais características desta manobra é que auxilia a alcançar longas distâncias.

Não pratique esse exercício sem orientação de um profissional  e em local com segurança controlada. 

Leia também: Benefícios da dança para o corpo e saúde

A SEPAC está há 43 anos no mercado, oferecendo as melhores soluções de higiene e bem-estar para o seu dia a dia. Acesse o site: www.sepac.com.br

Deixar um comentário