19 agosto 2020

Como manter a saúde do corpo durante a pandemia

Como manter a saúde do corpo durante a pandemia

A chegada da pandemia intensificou em nossas rotinas uma série de hábitos sanitários e de higiene. Alguns cuidados foram adotados e outros redobrados para reduzir ao máximo os riscos de contágio. Mas, para além dessas medidas, é essencial ter atenção ao corpo, a fim de mantê-lo bem nutrido e hidratado durante este período. Confira abaixo.

Rosto

saúde do corpo - SEPAC

Para combater a oleosidade e a pele seca ou eliminar resíduos do rosto – como os de maquiagem – é preciso adotar uma rotina frequente de higienização. O ideal é lavar o rosto pelo menos duas vezes ao dia, de manhã e à noite, atentando-se para o produto que será utilizado, pois cada pele requer um tipo específico.

As peles mistas e oleosas devem ser higienizadas com sabonetes líquidos ou em gel que contenham substâncias que removam a oleosidade e auxiliem a limpar profundamente os poros. Pessoas com a pele normal ou seca, por sua vez, podem priorizar sabonetes líquidos com pH neutro que contenham agentes hidratantes na composição.

Corpo

O hidratante corporal também precisa ser específico para o seu tipo de pele. Ao aplicá-lo, as regiões do corpo que mais ressecam devem receber atenção especial, é o caso dos cotovelos, joelhos e calcanhares. Isso porque, se não tratado, o ressecamento pode causar irritações ou fissuras. Na hora do banho, cuidado com a temperatura da água, que deve estar entre fria e morna. A água quente demais também acelera o processo de envelhecimento da pele, além de eliminar sua oleosidade natural, presente na camada mais externa. A aplicação de hidratante corporal logo após o banho é ideal, pois o vapor d’água facilita que o produto seja mais bem absorvido.

Mãos

Como medida preventiva contra o contágio do vírus, o costume de limpar as mãos com álcool tornou-se bem recorrente. Mas, como tudo em excesso tem pontos negativos, a aplicação frequente de álcool deixa a pele ressecada, podendo, inclusive, ocasionar ardências, rachaduras, vermelhidões e coceiras. Para evitar isso, a Academia Americana de Dermatologia recomenda que, após a higienização com álcool em gel, seja aplicado um hidratante de mãos assim que elas secarem – o que não influencia na ação do álcool.

Sempre que possível, prefira lavar as mãos com água e sabão (por pelo menos 20 segundos), principalmente se ele contiver hidratante. Ainda assim, depois você pode hidratar as mãos com um produto específico para elas. Se o creme tiver vitaminas ou óleos minerais em sua composição, é ainda melhor.

Atente-se também ao usar produtos de limpeza mais fortes, como o próprio álcool e a água sanitária. O ideal é cobrir as mãos com luvas de borracha. Quando for cozinhar, evite aplicar álcool em gel para higienizar as mãos, pois ele pode causar queimaduras devido à proximidade com o fogo.

Fios

Nesse contexto de incertezas, efeitos como o estresse podem se refletir diretamente no enfraquecimento dos fios do cabelo, do bigode e da barba, ocasionando a queda. Isso pode ser agravado se a alimentação não estiver balanceada e reforçada com minerais e vitaminas.

corpo pandemia - SEPAC

Aproveite o isolamento social e evite o uso de chapinha e secador, que enfraquecem e quebram os fios, e tente hidratá-los com frequência, para que eles recebam os nutrientes necessários. Quando precisar sair, uma sugestão é prender os cabelos para evitar ficar levando as mãos até eles. Lembre-se de lavar os cabelos com shampoo sempre que retornar para casa e tentar mantê-los aparados. Assim, diminui-se a área de contato com bactérias e vírus, além de facilitar o melhor posicionamento da máscara no rosto.

Unhas

As unhas também necessitam de cuidados para continuar saudáveis, evitando doenças e infecções. Portanto, mantenha-as em um tamanho curto para evitar que resíduos e sujeiras se acumulem e facilitar a lavagem das mãos. Quando for limpar ou lixar as unhas, lembre-se de utilizar itens descartáveis e de uso pessoal e exclusivo seu. Evite a remoção de cutículas com o alicate, pois elas são os selos protetores naturais das unhas. Tirá-las facilita que vírus e bactérias adentrem o organismo. Em vez disso, procure apenas cuidar das cutículas. Por fim, deixe as unhas respirarem sem esmalte pelo período de pelo menos uma semana no mês, pois seu uso ininterrupto contribui para que as unhas ressequem e enfraqueçam.

Leia também: Os benefícios do cochilo para a saúde

Fonte: SulAmérica Saúde Ativa

A SEPAC está há 43 anos no mercado, oferecendo as melhores soluções de higiene e bem-estar para o seu dia a dia. Acesse o site: www.sepac.com.br

Deixar um comentário