10 maio 2021

Pratos e drinques da culinária mundial com histórias curiosas

Pratos e drinques da culinária mundial com histórias curiosas

Além de representarem uma combinação de sabores, texturas e ingredientes, muitas receitas da culinária mundial carregam consigo histórias curiosas. Confira abaixo fatos históricos e culturais por trás de pratos e drinques famosos internacionalmente.

Batatas fritas

A Bélgica é reconhecida pela qualidade de seus chocolates e cervejas, mas tem como uma de suas maiores especialidades a batata frita. Os belgas relatam que por volta de 1680, quando um inverno rigoroso congelou o rio e impossibilitou a pesca, a população passou a consumir batatas fritas cortadas em tiras. Esse formato era escolhido pela semelhança com as costumeiras porções de peixe frito, prato comum do país.

Segundo estudiosos, talvez um dos primeiros registros da expressão french fries tenha surgido durante a Primeira Guerra Mundial. Nesse contexto, os soldados belgas teriam oferecido batatas fritas aos soldados americanos. Como a língua falada no sul da Bélgica é o francês, o prato foi apelidado de french fries (“batatas francesas”), como são conhecidas até hoje.

Piña colada

A piña colada, um dos drinques mais famosos do mundo, foi criada em 1954, em Porto Rico, a partir de um desafio. Na época, o hotel Caribe Hilton recebia uma quantidade cada vez maior de celebridades europeias e americanas. A notória clientela despertou na administração do local o desejo de incorporar ao cardápio algo que só pudesse ser encontrado ali.

Foi quando o jovem barman Ramón Monchito Marrero acatou o desafio. Após uma pesquisa de três meses com ingredientes locais, Ramón apresentou ao hotel um coquetel doce preparado com rum, suco de abacaxi e leite de coco: a famosa piña colada.

Frango à Kiev

Frango à Kiev sobre o prato - SEPAC

No século 18, a Revolução Francesa provocou a fuga de diversos cozinheiros da corte de Luís XVI para demais países da Europa. Muitos deles foram acolhidos por Elizabeth Petrovna, imperatriz russa e admiradora da culinária francesa. Uma das receitas levadas pelos cozinheiros era a chamada côtelettes de volaille, que para agradar à imperatriz teve seu nome alterado para frango à Kiev.

Acredita-se que o criador da receita original tenha sido um cervejeiro francês chamado Nicolas Appert, que era encantado pelo processo de fermentação de alimentos. Ele testou no frango um método para selar a manteiga internamente, de modo a evitar que ela vazasse durante a fritura.

Desses experimentos teriam surgido as côtelettes de volaille, peças de peito empanadas e recheadas com ervas e manteiga. Além de delicioso, esse prato de sabor clássico preserva, portanto, histórias curiosas no campo da ciência dos alimentos.

Gin tônica

A gin tônica, que ganhou popularidade como um saboroso e refrescante drinque, foi criada originalmente para fins medicinais. Na Revolta Holandesa, que teve início no século XVI, os soldados costumavam tomar água tônica, já que ela atuava como um remédio natural contra a malária – por conter a substância quinina em sua composição, que é antitérmica, antimalárica e analgésica. Entretanto, a fim de alcançar um gosto mais agradável, os ingleses misturavam gin à água tônica, criando assim a famosa gin tônica.

Salada Caesar

Pessoa preparando salada caesar

Criado em um contexto similar ao da piña colada, esse prato surgiu de um improviso em 1924, no hotel Ceasar’s Palace em Tijuana, México. No feriado americano de 4 de julho, o local fundado pelo imigrante italiano César Cardini recebeu uma grande quantidade de atores hollywoodianos, que fugiam da Lei Seca americana e desejavam celebrar a data.

Como a bebida era abundante mas a despensa do hotel estava escassa, César improvisou na receita, incorporando mostarda, azeite, corações de alface, croûtons com alho, anchovas, molho inglês, limão, queijo ralado e, para finalizar, molho de gemas cruas. O sucesso do prato foi tão grande que consagrou a salada Caesar.

Frango à Marengo

Na Batalha de Marengo – comuna do norte da Itália –, em 1800, Napoleão Bonaparte trouxe da Suíça um chefe chamado Dunand, a quem designou a função de alimentar bem seus soldados. Após a vitória, o então cônsul da França desejou celebrar a conquista com um grande banquete. Como não havia onde buscar alimentos, Dunand precisou improvisar com o que os soldados encontraram no campo: um frango magro, ovos, tomates e camarões pescados de um riacho.

Com tais ingredientes, cozinhou o frango junto a croûtons de pão velho do quartel, dando origem ao hoje chamado frango à Marengo. O prato obteve tanto êxito que Napoleão determinou que ele passasse a ser servido a todos os seus oficiais dali em diante.

Leia mais: Mitos e verdades sobre o uso do micro-ondas

A SEPAC está há 43 anos no mercado, oferecendo as melhores soluções de higiene e bem-estar para o seu dia a dia. Acesse o site: www.sepac.com.br

Deixar um comentário