18 outubro 2018

Gastronomia regional traz ingredientes exóticos do sertão brasileiro

Gastronomia regional traz ingredientes exóticos do sertão brasileiro

Já pensou em comer cacto? Quando a seca vem, ter uma opção de emergência para a alimentação dos animais é essencial. No sertão, é comum ver os moradores retirando os espinhos de cactos para oferecer a planta ao seu rebanho. Mas a palma, o mandacaru e a coroa-de-frade entram também na gastronomia nordestina, dando um toque original para os pratos. Confira!

Cacto por necessidade

Nas prateleiras de supermercados em cidades grandes, esses alimentos são chamados de PANCs – plantas alimentícias não convencionais – e considerados iguarias da alta gastronomia, mas nem sempre foi assim.

Chefs nordestinos que tiveram a sua infância na caatinga brasileira e que hoje introduzem os cactos mais comuns da região em seus pratos contam que o consumo vem de longa data, por necessidade. Muitas famílias sertanejas aproveitavam o que estava disponível na roça e arredores.

Gastronomia nordestina da caatinga

Pratos populares com cacto

Conheça alguns pratos deliciosos que levam cacto na composição.

Cocada de xique-xique

A melhor parte da cocada de xique-xique é que ela requer uma única alteração. Depois de remover os espinhos e a casca do cacto, basta ralar o vegetal e incorporar à receita, substituindo a metade do coco ralado.

O resultado é fabuloso, a cocada fica muito mais cremosa e encorpada, além de render mais.

Cocada

Doce de coroa-de-frade

A receita é simples e leva poucos ingredientes: cacto coroa-de-frade, coco ralado, rapadura, canela em pau, cravo e meio litro de água. Depois de remover os espinhos e descascar a coroa-de-frade, é só ralar o cacto e levar todos os ingredientes para cozinhar em uma panela por uma hora e meia.

Além de ser um doce muito bonito, que lembra a bananada, ele também é saboroso, semelhante ao doce de mamão.

Projeto Gastrotinga

Projeto Gastrotinga

A utilização de ingredientes locais e até mesmo as receitas familiares inspiraram o projeto Gastrotinga, que busca valorizar a agricultura e os ingredientes locais, incentivando os trabalhadores da região e levando esses alimentos para os restaurantes de todo Brasil.

O segundo foco do projeto é despertar o interesse das pessoas em conhecer a caatinga e se aproximar da cultura sertaneja, que precisa ser muito criativa nos períodos de seca.

A “princesa do sertão”

Palma

A palma, ou “princesa do sertão”, é outra das espécies de cacto. No início, as pessoas rejeitavam a ideia de consumir a planta, por ser utilizada na alimentação dos animais. Porém, no fim de 2017, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) reconheceu a palma como um alimento do futuro, por ser resistente e rico em água.

Será que a ideia de comer cacto parece agora mais interessante?

Veja também: Pratos brasileiros que fazem sucesso no mundo

A SEPAC está há 43 anos no mercado, oferecendo as melhores soluções de higiene e bem-estar para o seu dia a dia. Acesse o site: www.sepac.com.br

Deixar um comentário